MINHA CRENÇA

Creio que a Bíblia é a palavra inspirada de Deus e a autoridade máxima, revelando que Jesus Cristo é o Filho de Deus. Creio que o Homem é criado à imagem de Deus, para uma vida eterna através de Cristo. Embora todos os homens tenham pecado e careçam da glória de Deus, estando totalmente perdidos sem Cristo, Deus faz a salvação possível através da morte e ressurreição de Jesus Cristo. Creio que arrependimento, fé, amor e obediência são respostas necessárias e adequadas à graça de Deus estendida a nós, e que Deus deseja que todos os homens sejam salvos e venham a ter conhecimento da Verdade. Creio que o poder do Espírito Santo é demonstrado em nós e através de nós para o cumprimento do último mandamento de Cristo: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Marcos 16.15).

Curso de Teologia

Einstein e a Verdadeira Sabedoria



Uma carta escrita em 1954 pelo físico alemão Albert Einstein foi recentemente leiloada em Londres. No conteúdo, declarações que revelam um desprezo pela religião dos judeus e pela Bíblia:



“A palavra Deus para mim é nada mais que a expressão e produto da fraqueza humana, a Bíblia é uma coleção de lendas honradas, mas ainda assim primitivas, que são bastante infantis.


Sobre o judaísmo e o povo do qual ele diz fazer parte, disse o seguinte:


“Para mim, a religião judaica, como todas as outras, é a encarnação de algumas das superstições mais infantis. E o povo judeu, ao qual tenho o prazer de pertencer e com cuja mentalidade tenho grande afinidade, não tem qualquer diferença de qualidade para mim em relação aos outros povos.”

“Até onde vai minha experiência, eles não são melhores que nenhum outro grupo de humanos, apesar de estarem protegidos dos piores cânceres por falta de poder. Mas além disso, não consigo ver nada de ‘escolhido’ sobre eles”.

Em escritos anteriores, Einstein deixara a impressão de crer na existência de Deus, ou pelo menos na possibilidade da existência d'Ele, o que gerou uma surpresa quando esta carta foi divulgada. Curioso também é notar que ele se diz judeu mas se refere a este povo na terceira pessoa.

Para a maioria das pessoas, este tipo de comentário vindo de um dos homens mais inteligentes que este mundo já viu deve ter bastante credibilidade. Mas para aqueles que crêem na autoridade da Palavra de Deus, vêem neste episódio mais uma prova do que o apóstolo Paulo escreveu na primeira carta aos Coríntios:

"Porque a palavra da cruz é deveras loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, e aniquilarei a sabedoria o entendimento dos entendidos. Onde está o sábio? Onde o escriba? Onde o questionador deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto como na sabedoria de Deus o mundo pela sua sabedoria não conheceu a Deus, aprouve a Deus salvar pela loucura da pregação os que crêem. (...) Porque a loucura de Deus é mais sábia que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte que os homens." (v. 18-21,25)

Nenhum comentário:

Postar um comentário