MINHA CRENÇA

Creio que a Bíblia é a palavra inspirada de Deus e a autoridade máxima, revelando que Jesus Cristo é o Filho de Deus. Creio que o Homem é criado à imagem de Deus, para uma vida eterna através de Cristo. Embora todos os homens tenham pecado e careçam da glória de Deus, estando totalmente perdidos sem Cristo, Deus faz a salvação possível através da morte e ressurreição de Jesus Cristo. Creio que arrependimento, fé, amor e obediência são respostas necessárias e adequadas à graça de Deus estendida a nós, e que Deus deseja que todos os homens sejam salvos e venham a ter conhecimento da Verdade. Creio que o poder do Espírito Santo é demonstrado em nós e através de nós para o cumprimento do último mandamento de Cristo: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Marcos 16.15).

Curso de Teologia

Meus relacionamentos e Cristo




Não há nenhum motivo para amar a não ser porque Cristo nos amou. Ninguém pode ousar falar de amor sem passar pela cruz de Jesus. Se acaso, quisermos encontrar qualquer outro motivo para amar alguém, seja satisfação, prazer, beleza, segurança, ou qualquer outra coisa que não seja espelho do que Cristo fez por todos, fazemos do amor simplesmente um parque de diversões.

O amor não é uma recreação sentimental. O amor não é um produto comprado.

Eu sei, você vai me dizer que eu não conheço e nem convivo com as pessoas que você é obrigado a conviver, você vai me dizer que se eu soubesse o quanto seu pai é turrão, o quanto seu marido é complicado, o quanto seu namorado te maltrata, o quanto seu irmão é maldoso, quanto sua sogra é mandona, eu entenderia sua situação. Pois é, a novidade para você é que por causa de Jesus a gente não tem outra opção a não ser constranger as pessoas pelo amor DEle demonstrado.



Talvez você olhe para as dificuldades de relacionamento e veja somente problemas sem solução. Talvez ainda lhe falte a revelação de que Cristo é a maior expressão de amor que já existiu no universo e que você também é parte desse amor, sendo agente dele, carregando consigo por toda parte as marcas do amor de Cristo. Talvez você tenha perdido de vista a dimensão da cruz, e tenha entrado em um relacionamento sem notar que você é a expressão de Cristo para o outro. Talvez esteja perdido porque se entregou a um amor-próprio equivocado, fruto de um orgulho inquebrável. Talvez você tenha escolhido seguir com Cristo, mas deixou claro a Ele: “Bem, quero ter todos os benefícios de andar com o Senhor, mas deixa que dos meus relacionamentos eu mesmo cuido!”. Talvez você tenha medo de confessar que seu amor, no fundo, no fundo, é mais motivado por querer ser amado do que por querer distribuir amor. Talvez esteja indo para a cruz sem saber o que é a cruz.

Imagine que no momento da crucificação de Jesus, você era uma das pessoas que estava passando por ali, observando ao redor e tudo que conseguiu ver foi a cena de um homem sendo condenado por um crime, ou seja, apenas mais um dizendo ser o tal Messias que ia salvar o povo de Deus como tantos outros que foram punidos, ou então, você poderia ficar curioso diante de tal brutalidade que ali presenciada e isso despertaria um querer saber mais do motivo que levou aquele homem mesmo naquelas condições a suportar tal escárnio. Então, é desse olhar que estamos falando aqui.

Pare e pense.

Quem olha para o evento da Cruz não vê o amor sendo revelado, mas, se depara apenas com a dor e o sofrimento, mas quando no terceiro dia, é tomado pela ressurreição, de repente se dá de cara com a maior expressão de amor que já existiu.

Creio que amar e conviver pode se tornar uma experiência realmente cristocêntrica quando temos o modelo de Cristo como passo inicial para todas as atitudes. Repare que amar conforme Cristo não é a mesma coisa que amar conforme a igreja ensina a amar, como o pastor diz ser o melhor, como os cursos e livros dizem ser melhores.

Sobretudo, o espírito da cruz com seu efeito de reconciliação contínuo deve estar presente em todos os nossos relacionamentos.

Relacionar-se é, principalmente, reconciliar-se a cada dia. Agora, se no meio de nossos relacionamentos, quisermos ter apenas privilégios, glórias, razões e certezas, precisamos confessar que temos “amado” de uma maneira que não combina com a Cruz do nosso Senhor Jesus Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário